International Photo Awards: um show de fotos de tirar o fôlego

 

Por Aldo De Luca | MediaTalks, Londres 

 

Para quem gosta de fotografia, a lista de vencedores da edição 2020 do International Photography Awards, uma das principais premiações de fotografia do mundo, é um prato cheio. A premiação é concedida anualmente desde 2003. Este ano concorreram 13 mil inscritos de 120 países nas 13 categorias de cada uma das duas áreas (profissional e não profissional/estudante).

Entre os profissionais, o maior número de prêmios (3) foi para fotógrafos do Reino Unido, seguido pela Austrália, com 2. Da América do Sul, o único vencedor foi da Colômbia, na categoria Deeper Perspective.

Entre os não profissionais/estudantes, Estados Unidos e Espanha ganharam dois prêmios cada. A Argentina representou a América do Sul entre os vencedores, na categoria Livros.

O Brasil não venceu em nenhuma das categorias principais, mas em Natureza fez bonito na subcategoria subaquática não profissional. A vencedora foi a brasileira Paula Gomes Vianna, com a  incrível foto Pink on Pink, de um peixe anemôna rosa abrigado dentro de uma anêmona rosa. 

Ela explica:

“Existem 12 espécies de peixes anêmonas na Austrália e 30 no mundo. Os peixes anêmona têm uma relação mutualística, não podem sobreviver sem uma anêmona, que lhes dá abrigo, proteção, delimita seus territórios, afasta predadores potenciais e serve como área de desova”.

Fotos de tirar o fôlego

A foto de Paula feita debaixo d’água não é a única de tirar o fôlego. Você pode ver outros trabalhos extraordinários aqui, onde são apresentados os três primeiros colocados de cada uma das 13 categorias nas áreas profissional e não profissional. Além disso, são apresentados também os três primeiros em cada uma das quase 90 subcategorias.

A categoria com mais subdivisões é Natureza (11), seguida por Pessoas e Publicidade (10 cada). A categoria Editorial aparece na sequência, com nove subcategorias (Questões Contemporâneas, Notícias Gerais, Reportagem, Meio Ambiente, Política, Esporte, Guerra e Conflitos, Personalidades e Outros).

Covid-19, refugiados e protestos raciais e por autonomia são destaques das fotos da categoria Editorial

As fotos da categoria Editorial focaram principalmente na Covid-19, nos protestos raciais, nos protestos pela autonomia de regiões como a Catalunha e Hong Kong e o drama dos refugiados de várias partes do mundo. 

Entre os profissionais, a foto vencedora foi Pro Democracy Demonstrations, Hong Kong: The Revolution of Our Time , mostrando um flagrante dos protestos contra a China.

Mas outras fotos chocantes com o mesmo tema também venceram em subcategorias, como  David e Golia , que mostra um manifestante pró-autonomia da Catalunha sendo preso em Barcelona.

Entre os não profissionais, a Covid-19 foi o tema da foto ganhadora.  In Epicenter of Covid-19  mostra um chocante flagrante nos hospitais da Turquia.

 

Com o mesmo tema,  The portrait of Humanity  mostra a angústia de um médico protegido dentro de uma câmera de vidro para coletar amostras de sangue como um retrato da própria humanidade.

Fotos dos protestos raciais também renderam flagrantes tocantes, como  Unrest in America …

 

…e  Say Their Names , com os manifestantes exigindo os nomes dos assassinos de George Floyd nos Estados Unidos.

 

O drama dos refugiados foi retratado em fotos extraordinárias, como  La Caravana del Diablo , mostrando migrantes de Honduras em sua tentativa de chegar aos Estados Unidos

 

 

ou  Exodus , focando nos refugiados venezuelanos na Colômbia.

 The Zone  apresenta os refugiados na zona de segurança no nordeste da Síria..

 

e  Education whilst displaced  mostra a dificuldade de dar continuidade à educação das crianças Yazidis numa escola dentro um campo de refugiados no Curdistão iraquiano.

A foto  Srebrenica, the pain has not subsided  lembra que a dor não diminuiu em Srebrenica, na Bósnia, onde há 25 anos ocorreu o genocídio de 8.300 homens e meninos. As mulheres, crianças e idosos foram  forçados a deixar suas aldeias. Mas todo ano promovem enterros coletivos dos restos mortais de seus parentes que ainda são encontrados.

Na subcategoria ambiental,  Plastic Crisis: Men On The Front Lines  retrata os pobres de Acra, em Gana, que se arriscam catando lixo nas águas da Lagoa de Korle para recuperar plásticos recicláveis e vendê-los por centavos para sobreviver.

Já  The Dukha People, Victmis of Culprits  mostra a luta pela sobrevivência das remanescentes quarenta famílias Dukha na Mongólia, envolvidas na criação de renas, prejudicada pelas mudanças climáticas.

O toque de esperança vem de  The Sufi Brotherhoods of Senegal , que mostra como a interpretação tolerante do Alcorão pela comunidade sufi tem mantido o país estável e à margem do terrorismo internacional…

 

…e de  City Soleil: a Melody of Hope , que retrata uma escola de música criada por um voluntário que dá ânimo crianças e adolescentes em meio a uma guerra entre gangues em City Soleil, no Haiti.

Fotos artísticas e expressivas 

Fora da categoria Editorial há trabalhos de grande beleza e com mensagens impactantes. Alguns dos que selecionamos: 

Ameaça silenciosa, obra vencedora na categoria fotografia especial graficamente modificada, expressando o drama da Covid-19. Sobre uma imagem capturada em março no vazio centro de Calgary em pleno horário de rush, o fotógrafo canadense Sawyer Russel inseriu o que chamou de “único habitante, uma ameaça silenciosa. Oculta e invisível”. 

O bom e velho futebol, tão caro para os brasileiros, encontrou uma leitura poética na série de fotos produzidas em Uganda com uma Leica pelo australiano Brian Hodges, vencedora na categoria Pessoas/Crianças. Elas mostram meninos e suas bolas improvisadas, com estudada harmonia de cores. 

 

 

Prêmios e exposição virtual 

Todos os ganhadores de categorias vão concorrer aos dois prêmios principais, de Fotógrafo do Ano (da área profissional) e de Revelação do Ano (entre não profissionais/estudantes). Cada um ganha um troféu e uma premiação em dinheiro (com direito a indicar uma instituição beneficente que também será beneficiada).

Todas as fotos vencedoras das categorias e subcategorias das duas áreas, junto com uma seleção dos segundos e terceiros lugares, são apresentadas na exibição Best of Show que, em tempos sem pandemia, percorre o mundo. Enquanto a vacina não chega, você pode se encantar com o tour virtual da exposição de 2019 aqui.

E todos os trabalhos premiados, em todas as categorias, estão no site da IPA.


Aldo De Luca,  Conselheiro e colaborador do MediaTalks byJ&Cia, é jornalista brasileiro radicado em Londres. Formado em Jornalismo pela UFF (Universidade Federal Fluminense), foi repórter especial do jornal O Globo em 1987 e 1988. Fundou junto com Luciana Gurgel a agência Publicom, que se tornou uma das maiores empresas do setor no Brasil e em 2016 foi adquirida pela WeberShandwick (IPG Group).  Além de jornalista,  é Engenheiro pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Integra a  FPA (UK Foreign Press Association). 


Leia também: 

 

A pesquisa comportamental da Newsworksque privou participantes de consumir notícias para entender o papel do jornalismo em suas vidas

 

 

 

 

A visão original do jornalista galês Shirish Kulkarni, que em palestra no Instituto Reuters para Estudos do Jornalismo da Universidade de Oxford colocou em questão o uso do lead como formato de redação jornalística e defende que o jornalismo precisa melhorar para a sociedade também melhorar 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *